As Sete Leis Espirituais do sucesso – Deepack Chopra

Deepak Chopra é um médico indiano radicado nos Estados Unidos que  trabalha com uma abordagem da medicina oriental baseada na espiritualidade. Mente corpo e espirito como um sistema e não como partes separadas.

As Sete Leis Espirituais do sucesso – Deepak Chopra

  1. Lei da Potencialidade Pura;
  2. Lei da Doação;
  3. Lei do Carma ou Causa e Efeito;
  4. Lei do menor Esforço;
  5. Lei da Intenção e do Desejo;
  6. A Lei do Desprendimento;
  7. Lei do Darma ou do Propósito de Vida.

Lei da Potencialidade Pura

Tudo o que percebemos/recebemos vem do desconhecido. A fonte de toda criação é a consciência. Porque atraímos mais daquilo que vibramos e pensamento é vibração. A lei da potencialidade atrai tudo o que você deseja: Coisas e pessoas. Magnetiza as pessoas, situações e as circunstâncias que alimentam seus sonhos.

Como aplicar a lei da potencialidade pura?

  1. Pratique o silêncio, a meditação todos os dias. Reserve um tempo todos os dias para meditar, entrar em contato com o campo de potencialidades puras.
  2. Reserve um tempo para testemunhar e observar a natureza, o silêncio. A inteligência divina se manifestando em tudo o que há em sua volta. A abundância do universo circula ao nosso redor o tempo todo.

Lei da Doação

 O universo opera através de trocas dinâmicas. Dar e receber são diferentes aspectos do fluxo de energia. Com a nossa disposição de dar o que buscamos, mantemos a abundância do Universo e em nossas vidas. Por isso devemos dar e receber para que a riqueza circule infinitamente em nossas vidas e na dos outros.

Como praticar a lei da doação?

  1. Doe o que você quer receber. Se quer ser abundante, ajude os outros a serem abundantes. Doe amor, alegria, oração. Aprenda a abençoar os outros. Em qualquer lugar que vá leve consigo uma oferta (um abraço, um sorriso, uma oração, uma intensão positiva)
  2. Aprenda a receber de volta tudo o que a vida lhe oferece. O sol, a luz, as chuvas, os sorrisos, as amizades, o trabalho.

 

Lei do carma ou Causa e Efeito

Colhemos o que plantamos. Toda ação gera uma força de energia que retorna de modo análogo. Toda a ação gera uma força de energia que nos é devolvida na mesma espécie. O universo já está automatizado, como nossa mente subconsciente que automatiza tudo o que fazemos várias vezes, o universo também está automatizado.

Como aplicar a lei da causa e efeito?

  1. Observe cada escolha que está fazendo, traga para seu consciente presente.
  2. Sempre que fizer uma escolha, faça duas perguntas: Que consequências advirão desta escolha que estou a fazer?

Esta escolha trar-me-á realização e felicidade, a mim e aos que por ela serão afetados?

  1. Faça escolhas em que sinta conforto no coração.

Lei do menor Esforço

A inteligência da natureza funciona sem esforço – as flores não tentam desabrochar, elas desabrocham; os pássaros não tentam voar, eles voam. Se buscamos poder, dinheiro ou felicidade para a satisfação do ego, desperdiçamos energia; mas se nossas ações são motivadas por amor, harmonia e alegria, nossa energia se multiplica e podemos usar o excedente para criar o que quisermos.

A Lei do Menor Esforço possui três componentes. Três coisas que pode fazer para pôr em prática este princípio de faça menos e realize mais. O primeiro componente é a capacidade de aceitação. A capacidade de Aceitação requer apenas que estabeleça a seguinte regra: Hoje vou aceitar as pessoas, as situações, as circunstâncias e os acontecimentos tal como eles ocorrerem. Isto significa que sabemos que aquele momento foi aquilo que devia ser, e como deveria ser.

Quando luta contra esse momento, está de fato a lutar contra todo o universo. Em vez disso, pode tomar a decisão de hoje não lutar contra todo o universo, lutando contra esse momento. Isso significa que a sua aceitação desse momento é total e completa. Aceita as coisas como elas são, não como gostaria que fossem. Pode desejar que no futuro as coisas sejam diferentes, mas nesse momento tem de aceitar as coisas como elas são.

Segundo componente é assumir a responsabilidade. A responsabilidade significa não culpar ninguém, nem a si próprio, pela sua situação.

O terceiro componente da Lei do Menor Esforço é o distanciamento, o que significa que o seu conhecimento se deve estruturar através do distanciamento e que deverá renunciar à necessidade de convencer ou persuadir os outros dos seus pontos de vista. Se observar as pessoas à sua volta, verá que elas passam noventa e nove por cento do tempo a defender os seus pontos de vista. Se renunciar à necessidade de defender os seus pontos de vista, por meio dessa renúncia ganhará acesso a imensas quantidades de energia que antes tinham sido desperdiçadas.

Como praticar a lei do menor esforço?

  1. Praticar a aceitação. Hoje aceito pessoas, situações, circunstâncias e acontecimentos, tal como eles ocorrerem;
  2. Responsabilidade pela minha situação e por todas as ocorrências que me aparecem. Sei que aceitar a responsabilidade significa não culpar ninguém, nem nada, pela minha situação (incluindo eu próprio). Identificar que cada problema tem escondido uma oportunidade que o tornará melhor.
  3. Renuncio à necessidade de defender os meus pontos de vista. Não sentirei necessidade de convencer nem de persuadir os outros a aceitarem os meus pontos de vista. Permanecerei aberto a todos os pontos de vista e não me prenderei com rigidez a nenhum deles.

Lei da Intenção e do Desejo

“Inerente a toda intenção e desejo, está a mecânica para a sua realização. E quando colocamos uma intenção no campo da pura potencialidade, colocamos este poder organizador infinito para trabalhar para nós”. No nível da mecânica quântica, o universo é uma extensão de nosso corpo, e nossa intenção detona transformações de energia e informação, e organiza sua própria realização.

A energia e a informação existirem em toda a parte da natureza. Na verdade, ao nível do campo quântico, não há nada senão energia e informação. O campo quântico constitui apenas outra designação para o campo da consciência e da potencialidade pura. E o campo quântico é influenciado pela intenção e pelo desejo.

Como aplicar a lei da intenção e do desejo?

  1. Faça uma lista de todos seus desejos. E carregue consigo por onde você vá. Leia a lista antes de dormir, ao levantar e antes de meditar.
  2. Entrego a lista de desejos ao movimento da criação e confio que o melhor vai acontecer. Se não for exatamente o que eu desejei, sei que vira algo mais grandioso e divino.
  3. Lembro-me de que devo praticar o conhecimento do momento presente em todas as minhas ações.

A LEI DO DESPRENDIMENTO

A Lei do Desprendimento diz-nos que para adquirirmos qualquer coisa no universo físico temos de renunciar à nossa ligação a ela. Isto não significa que desistamos da intenção de criar o desejo. Não devemos desistir da intenção, nem devemos desistir do desejo. Devemos desistir da nossa ligação ao resultado. Esta atitude é muito poderosa. No momento em que renunciamos à ligação ao resultado, combinando ao mesmo tempo, intenção dirigida e desprendimento, teremos aquilo que desejamos. Quando nos abrimos ao desconhecido, ao campo de todas as possibilidades, nos entregamos à mente criativa que orquestra a dança do universo. O apego é baseado no medo e na insegurança, e cria ansiedade. O apego excessivo aos bens materiais – símbolos transitórios do Eu – traz a sensação de inutilidade e vazio.

Como praticar a lei do desprendimento?

  1. Darei a mim próprio e aos que me rodeiam a liberdade de sermos como somos. Não imporei ideias rígidas sobre como as coisas deviam ser;
  2. Hoje interiorizo a incerteza como um ingrediente essencial da minha experiência. A minha boa vontade para aceitar a incerteza fará com que as soluções surjam, espontâneas, dos problemas, da confusão, da desordem e do caos.

Lei do Darma ou do Propósito de Vida

“Todos têm um propósito na vida… algo único para dar aos outros. E quando misturamos este talento com o serviço aos outros, experimentamos o êxtase de nosso próprio espírito, o que é objetivo último de todos os objetivos”. Primeiro, devemos descobrir nosso verdadeiro eu; depois, expressar nossos talentos especiais; e finalmente, usar este nosso dom para servir a humanidade.

A Lei do Darma diz-nos que nos manifestamos sob a forma física para cumprir uma finalidade. A divindade constitui a essência do campo da potencialidade pura e, o divino toma a forma humana para cumprir uma finalidade. Segundo esta lei, todos temos um talento específico e uma forma singular de o exprimirmos. Há qualquer coisa que conseguimos fazer melhor do que qualquer outra pessoa no mundo e, cada talento específico com a sua forma singular de se exprimir, também requer necessidades especiais. Quando essas necessidades se combinam com a expressão criativa do nosso talento, gera-se a centelha que dá prosperidade. Exprimir os seus talentos para realizar aquilo que é necessário cria riqueza e abundância ilimitadas.

A Lei do Darma possui três componentes.

Primeiro diz-nos que cada um de nós se encontra aqui para descobrir o nosso verdadeiro Eu. O seu verdadeiro Eu, é espiritual, porque na essência somos seres espirituais manifestando-se sob uma forma física.

O segundo componente da Lei do Darma consiste em exprimirmos os nossos talentos especiais. A Lei do Darma diz-nos que todo o ser humano possui um talento especial. Todos possuímos um talento, cuja expressão é de tal modo singular, que não existe mais ninguém vivo no planeta que possua esse talento ou essa forma de o exprimir. Isto significa que há uma coisa específica que cada um de nós sabemos fazer melhor do que qualquer outra pessoa no mundo. Quando está a fazer isso, perde a noção do tempo.

O terceiro componente da Lei do Darma consiste na vontade de servir a Humanidade. Servir os outros seres humanos e perguntar: Como posso eu ajudar? Como posso ajudar aqueles que me rodeiam?

Como praticar a lei do Darma?

  1. Darei toda a atenção à minha alma interior que dá vida ao meu corpo e ao meu espírito.
  2. Faça uma lista dos meus talentos especiais. Depois faço uma lista de todas as coisas de que gosta de fazer quando exprime os seus talentos especiais. Exprimindo os seus talentos especiais e utilizando-os a serviço da Humanidade, perde a noção do tempo e cria abundância na vida, assim como na vida dos outros.
  3. Pergunto a mim mesmo todos os dias: Como posso servir? e Como posso ajudar? As respostas a estas questões vão permitir-lo ajudar e servir os outros seres humanos com amor

Quero conhecer os pensamentos de Deus… o resto são pormenores. Albert Einstein

 

CHOPRA, Deepak. Livro “As Sete Leis Espirituais do Sucesso”.

TAGS: 7 leis espirituais do sucesso deepak chopra, as sete leis espirituais do sucesso. 7 leis espirituais da prosperidade, Mente abundante, Crenças, PNL.

 

1 comentário sobre “As Sete Leis Espirituais do sucesso – Deepack Chopra

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: