Parábola a Vaquinha de leite empurrada no precipício

Vaquinha de leite empurrada no precipício

 Em uma vila distante, havia uma família muito pobre que morava em um pequeno sitio. Viviam em uma casa humilde, e a única forma de sustento era uma vaquinha de leite. Todas as manhãs, o filho e o pai se dirigiam até a pequena estrebaria e ordenhavam a vaquinha. O filho levava o leite em garrafas e vendia nas casas do lugarejo próximo e comprava outros alimentos. A casa precisava de reformas, a terra estava secando e a miséria castigava aquela família.

Um velho sábio e seu discípulo, passando por aquela estrada, pararam para descansar a sombra de uma árvore. O discípulo, observando aquela família vivendo na miséria, pediu ao mestre se podiam fazer alguma coisa para ajuda-los. O que respondeu o mestre:

-Claro que podemos. Vá ate lá e empurre a vaquinha naquele precipício.

O discípulo sem contestar, foi e empurrou a vaquinha de leite no precipício.

Os dois continuaram a viagem, mas o discípulo não se confortava em ter causado aquele problema para a família, ele tirará a vaquinha de leite que era o único meio de sustento deles.  Passou todos os dias sofrendo imaginando como poderiam estar se virando para sobreviver. agora que não tinham mais seu meio de sobrevivência.

Passando algum tempo, o velho sábio e seu discípulo, retornando da viagem, passando por aquele lugar, pararam na sombra da mesma árvore para descansar e não viram mais a família.

Enquanto o mestre se mantinha sereno e confiante, o discípulo se mostrava ainda mais preocupado. Olhando para o pequeno sítio, Comtemplava uma casa reformada, um terreiro cheio de galinhas ciscando e comendo milho, uma plantação ao alto da colina, um cercado com uma linda horta com aboboras, repolhos  e uma infinidade de outros  legumes e temperos. Árvores frutíferas enfeitavam o quintal da casa, com seus galhos arcados quase não suportando o peso das laranjas e um homem preparando a terra para nova plantação. O discípulo atraído pelo cheiro  agradável de carne assada, vindo da cozinha da casa, e o som da água que gotejava pela bica feita de bambus molhando a plantação, se aproximou da casa e perguntou à senhora que cozinhava alegremente:

-Passamos há um tempo por está estrada e vimos uma família que morava nesta casa. Pode me dizer para onde eles se mudaram?

A senhora com um sorriso no rosto, respondeu:

– Ainda moramos aqui. Tivemos um problema  tempo atrás, nossa vaquinha de leite morreu quando caiu num precipício  e tivemos que aprender a se virar de outras formas. Mudamos algumas coisas, descobrimos que tínhamos muitas outras formas de ganhar dinheiro e conseguir o sustento. O meu filho está na escola estudando, meu marido está na roça preparando a terra para nova plantação.

O discípulo voltou para o mestre compreendendo que muitas vezes temos que abrir mão de coisas que nos prendem em uma situação, mesmo que isso pareça muito ruim no começo. O desconforto gera mudanças, crescimento e aprendizado.  A morte da vaquinha de leite forçou aquela família a sair da zona de conforto.

Autor desconhecido.

TAGS: Parábolas, metáforas, PNL, programação neurolinguística, educação financeira.

Metáfora do homem que se trancou em um vagão frigorifico

metáforas curtas

Um homem trabalhava em uma empresa de vagões de transporte frigorifico e um dia ao entrar em um dos vagões a porta se fechou.

A fechadura estava com defeito e abria somente pelo lado fora. O Homem tentou de todas as formas abrir a porta, gritou por socorro, mas ninguém lhe ouvia através das grossas paredes.

Cansado de tentar se livrar e acreditando que a morte seria certa, resolveu deixar uma mensagem para seus familiares e amigos. Escreveu na parede em letras grandes. “Sei que vou morrer pela falta de ar e serei congelado em poucos instantes. Tenho menos de uma hora de vida. Amo todos vocês.” O homem deitou-se ao lado de sua mensagem aguardando a morte.
Algumas horas passaram e seus colegas de trabalho sentiram a falta dele e foram procurar. Encontrando a porta trancada do vagão frigorifico, abriram-na. Encontraram o homem já morto, deitado próximo a parede com a mensagem que escreveu. Os companheiros ficaram  perplexos, não conseguiam entender a sua morte. Aquele homem gozava de ótima saúde, o vagão tinha oxigênio suficiente para respirar por meses, a temperatura dentro do vagão estava  no mesmo que fora, pois o equipamento de refrigeração estava quebrado á vários dias. (Metáfora retirada do filme ” O homem milagre“)