Como economizar dinheiro ao comprar imóvel

 vender casa

Estamos nos aproximando do final do ano e muitas das previsões para o setor imobiliário não se concretizaram.

Nestes últimos anos vivenciamos um boom imobiliário provocado pela oferta de crédito combinada com a escassez de oferta imóveis do passado e pelo plano governamental Minha casa minha vida. Com o acesso ao crédito, a procura maior que a oferta gerou aumento nos imóveis. Muitos investidores compraram imóveis na planta para depois revender, quem conseguia encaixar a prestação no orçamento familiar, logo fechava negocio sem olhar outras variáveis, como tempo de prestações, distância do trabalho e de escolas, do local e da qualidade do imóvel, taxas de juros, dentre outros. Apartamentos que há pouco tempo foram comprados por 300 mil, eram oferecidos logo depois por 600 mil como se fossem pedaços de ouro, ou pedaços do céu.

Alguns especialistas chegaram a declarar com muita veemência de que uma grande bolha imobiliária estaria já formada e preste a estourar. Alguns colocaram até data para acontecer, concluíam que o estouro da bolha seria antes do termino do primeiro semestre de 2014. Enquanto isso, assistíamos a uma corrida desesperada das imobiliárias e incorporadoras atrás de compradores e uma quantidade enorme e crescente de imóveis para vender. Profissionais com negócios no ramo defendiam seus interesse tentando convencer que os imóveis continuariam sua escalada de alta.

Muitas pessoas compraram com rapidez em um impulso de realizar o sonho da casa própria, como se tivesse escassez no mercado, enquanto isso assistíamos o número de placas de vende se multiplicarem.

Ao contrario do que muitos esperavam, não houve nenhuma bolha imobiliária e nem valorização dos imóveis. O que podemos perceber é um acumulo de imóveis, o preço estagnado e ofertas de desconto. Indicadores agora mostram que a quantidade de imóveis a venda está ficando maior do que a busca, assim pela logica da lei da oferta e procura , os imóveis tendem a baixar de preço para que os estoques diminuam. Podemos somar a isso a inadimplência daqueles que compraram um imóvel sem calcular os fatores citados anteriormente e agora com novos gastos com transporte, ônibus escolar, segurança e outros, acaba que os custos não cabem mais no orçamento e começam a atrasar as prestações. Três prestações atrasadas o imóvel vai para leilão aumentando ainda mais a oferta. Podemos também somar a isso, os imóveis usados que antes eram ocupados por inquilinos ou proprietários que se aventuraram no sonho de uma casa nova, agora veem suas casas fechadas sem conseguirem vender ou até alugar. Todos esses fatores fazem com que o pessimismo das pessoas em relação ao setor aumente. Quando o pessimismo aumenta, há uma corrida para vender e o preço cai ainda mais, até que a oferta e a procura se equilibrem e os preços achem o patamar mais justo.

O melhor momento de compra é quando todos estiverem desesperados para vender seus imóveis e a procura estiver baixa. Há grandes oportunidades quando isso estiver em andamento.

A revista exame divulgou dados do setor imobiliário em São Paulo apresentando uma redução nas vendas em 2014 de 41,4% comparando com o ano anterior. Uma grande preocupação do mercado é também em relação ao emprego, este setor é um grande gerador de postos de trabalho e uma crise afetaria o índice de desemprego afetando ainda mais a inadimplência e o pessimismo no setor.

Decisão de comprar um imóvel

Há um ano decidi comprar mais um imóvel como investimento, pensando em alugar para criar mais um gerador de renda. Dei uma volta em apenas quatro quarteirões e o plano foi adiando imediatamente, pela quantidade de unidades que estavam sendo oferecidas naquele bairro. Contei 12 imóveis entre usados e novos entre placas de vende-se e aluga-se, sendo que alguns tinham as duas placas, demonstrando que o proprietário queria qualquer coisa, menos deixarem o imóvel parado.

Se você ainda tem dúvidas a respeito do assunto, dê uma volta na cidade em que você mora e observe os imóveis que estão a venda ou com placas de aluga-se.

O sonho da casa própria pode ser uma jogada de marketing. Antes de decidir comprar imóvel que representa uma divida de longo prazo, pense se não está se deixando levar por essa frase que tanto meche com a imaginação das pessoas. O mercado é especialista em criar demandas e necessidades que muitas vezes não temos.

Não estou dizendo para você não comprar um imóvel, estou apenas lhe apresentando alguns fatos que devem ser levados em conta para não fazer uma escolha errada e ficar com um divida por muitos anos.

O momento certo para investir em imóveis vai surgir a partir do momento que a oferta e procura encontrarem seu ponto de equilíbrio. Vendedores ofertando para pessoas que planejam antes de comprar e compradores que não aceitam pagar um valor mais alto para terem um imóvel. Não pense que você vai ter uma única oportunidade na vida e que o vendedor esta fazendo um favor em lhe vender algo supervalorizado.

Quando você financia, paga juros, quando investe, recebe juros. O valor pago como prestação mensal pode ser aplicado gerando juros sobre juros e a compra pode ser feito em condições melhores de negociação.

O que saber antes de comprar imóvel

Antes de decidir comprar imóvel, conheça alguns fatores que não são explicados pelos vendedores e que podem pesar muito no seu orçamento:

– conheça o Custo Efetivo Total (CET) que engloba os custos totais com o financiamento, como juros, serviços administrativos, seguros habitacionais (MIP e DFI que são obrigatórios no financiamento) avaliação do imóvel, IOF, tarifa mensal da conta corrente para o débito, etc;

-Distancia do trabalho e meios de transporte;

-Distância de escola, supermercado e farmácia e meios de transporte para locomoção;

-Valorização ou desvalorização dos imóveis naquela localização;

-Depreciação do imóvel dentro do período de financiamento;

-Considerar a possibilidade de mudança de cidade ou oportunidade de emprego em outra localidade. Acontecendo isso, o imóvel seria facilmente alugado ou vendido?

-Segurança naquele local da cidade;

-Custo de oportunidade. Quando você compra algo, estará abrindo mão de outra. Ao comprar imóvel agora, estará comprometendo parte da sua renda que poderia ser guardado em um investimento. O custo do imóvel é o custo do valor que você teria guardado nesse período.

-Calcule o valor que estaria acumulando ao final do financiamento se aplicado à diferença entre o aluguel que você paga e a prestação do imóvel em um investimento de longo prazo.

-Considerar também a cultura de poupar. Se não consegue poupar, comprar imóvel pode ser um uma boa alternativa, gerando um compromisso que você cumpriria, mas observe o momento e a oportunidade certa para a compra.

Este artigo representa apenas a opinião do autor.

Aprenda e economizar dinheiro e conquiste sua independência financeira.

LEIA TAMBÉM: “Meu filho um milionário!”

BAIXAR: Planilha gastos mensais


E-MAIL


 



style=”display:inline-block;width:728px;height:90px”
data-ad-client=”ca-pub-4977511039809988″
data-ad-slot=”8179112753″>

Imagem: pixabay.com

TAGS: Comprar imóvel, como economizar dinheiro, educação financeira, gerador de renda

Uma ideia sobre “Como economizar dinheiro ao comprar imóvel”

Deixe uma resposta