crença em si mesmo

A crença em si mesmo – Metáforas e parábolas

Havia um reino com muitos súditos. Eles estavam descontentes, apesar de viverem no palácio, cercados de ouro,  deliciosas comidas, festas e favores do rei.

Um dia o rei sabendo que estavam descontentes, enviou uma carta, convocando todos para uma grande reunião no salão do palácio. Na carta do rei, orientava que somente aqueles que quisessem tratar de interesses maiores do reinado deveriam comparecer.



Chegou o dia de se encontrar com o rei. Muitos dos súditos curiosos pela chegada do rei aguardavam ansiosos.

Entrou o rei acompanhado de muitos sábios do palácio.  O rei percebendo que nem todos estavam ali, perguntou aos sábios.

-Porque não vieram todos?

O que respondeu os sábios.

-Querido rei, ouvimos falar que muitos não se acharam importantes o bastante para tratar dos assuntos do reinado e preferiram continuar em seus afazeres.

Então o rei falou para todos os que estavam ali.

-Meus súditos. Soube que muitos de vocês estão descontentes com as tarefas que executam no castelo. Então decidi que vou passar alguns de vocês para cargos com maiores responsabilidades. Preciso de novos comandantes da guarda, governadores de algumas províncias, comandantes de pelotões do exercito e até mensageiros e soldados. Vou fazer alguns testes com vocês e aqueles que passarem vão merecer as novas responsabilidades. Durante alguns dias, nos encontraremos aqui neste mesmo salão e eu vou passar a cada dia instruções do que vocês deverão realizar. Aguardo vocês aqui amanhã.

No outro dia entrou o rei no salão e percebendo menos homens na sala perguntou aos sábios.

-Onde estão os outros?

Os sábios responderam que muitos dos homens, sabendo que teriam desafios, acharam que seriam muito duros e difíceis e preferiram não tentar. Não se achavam preparados ainda para grandes desafios.

– Mas eu ainda nem falei quais seriam os desafios! Disse o rei descontente.

Então o rei passou a primeira tarefa. Cada interessado pelos novos cargos deveriam escrever um pequeno livro que contentasse o rei.

Chamou alguns escritores do reinado e pediu para que os ensinassem sobre a arte de escrever durante todo o restante daquele dia.

No outro dia, entrou o rei no salão e vendo menos homens, perguntou aos sábios.

-Onde estão os outros que estavam aqui ontem? Vejo que faltam muitos.

Os sábios responderam.

– Muitos acharam difícil a tarefa de ter que escrever um livro e que não conseguiriam fazer a tarefa a contento do rei. Então desistiram.

O rei passou o próximo desafio.

-Vocês terão que preparar um discurso para falar para um grande número de pessoas no dia que comemoramos a festa da colheita da cevada.

O rei em seguida trouxe os que preparavam os seus discursos e deixou-os o restante do dia a ensina-los a preparar discursos.

No outro dia, o rei entrou no salão e vendo poucos súditos, perguntou aos sábios:

– O que houve com os demais que estavam ontem?

– Querido rei, muitos disseram que não eram capazes de falar para muitas pessoas e desistiram. Respondeu os sábios.

O rei passou então mais uma tarefa.

-Vocês terão que ir a algumas províncias para defender os meus interesses. Terão a minha proteção. Mas encontrarão pessoas difíceis de lidar.

Depois trouxe negociadores do palácio para lhes repassar instruções sobre negociação durante o restante do dia.

Voltou o rei no outro dia e apenas três estavam aguardando o rei.

O rei então olhou para eles e disse:

-Vocês foram os escolhidos, ordeno aos coordenadores do castelo que lhes encaminhe para os novos ofícios.

O rei percebendo que os três estavam com aparência de expando, cedeu-lhes a palavra.

Eles então falaram ao rei.

Amado rei, nós não cumprimos ainda as tarefas dadas para vós. Até estamos escrevendo algumas coisas, treinando falar com o povo, e a arte de negociar, mas precisamos de muito tempo ainda para nos preparar. Nem sabemos se vamos conseguir.

O rei com um sorriso, disse.

– Muitos nem tentaram, outros desistiram antes mesmo de saber quais seriam os desafios. Alguns abandonaram o que queriam no primeiro pensamento de que encontrariam dificuldades, e outros na primeira dificuldade que encontraram.

Eles não acreditavam neles próprios, como eu poderia acreditar neles? Vocês foram testados no mais profundo dos testes. Na crença em si mesmo! Para realizar algo importante é preciso acreditar primeiro em você.

crença em si mesmo

Quando você acredita em si mesmo, o mundo passa a  acreditar em você.

TAGS: crença em si mesmo, PNL, Programação neurolinguística, Parábola. Imagem: Pixabay

 

 

 

 

 

TAGS: Metáfora curtas, crença em si mesmo, Crença em você, Crenças limitantes. Imagem: Pixabay

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: