A jornada do crescimento – Metáforas curtas

Ninguém começa algo acertando tudo, porque se fosse assim, não seria um crescimento, mas a permanência no mesmo estado.

Erramos muito antes de começar a acertar mais.

O crescimento pessoal, profissional ou financeiro, parece ter uma sequência que poucos entendem. Talvez isso explique porque se cria tantas zonas de conforto para não precisar sair delas.

Primeiro vem a fase de errar bastante.

Depois vem a fase de errar menos.

E depois a fase de acertar mais e errar menos.

E por último a fase de acertar bastante.

O crescimento é assim. Quantas vezes Thomas Edson, o criador da lâmpada elétrica, errou até chegar à invenção que tanto sonhava? Foram mais de dois mil erros, ou aprimoramentos como ele preferiu falar.

A jornada do crescimento às vezes é difícil. Seria mais fácil permanecer no mesmo lugar. Quando agimos corremos riscos. Somos criticados, largados, julgados. A torcida às vezes vira para o lado contrário: “Não vai dar certo! Não faça! E por fim, se dê mal!”

Porque a zona de conforto, sendo literalmente prolixo, é mais confortável. Boicotar-se parece melhor que enfrentar aquelas situações que não estamos acostumados.

Podemos passar vergonha, dar vexame, fazer feio, errar na visão do nosso crítico interior. Porém, quando se sabe que isso faz parte trajeto de crescimento, o abandono, a crítica, começa a fazer parte do treinamento para forjar o guerreiro, o sábio, o curador, o visionário que está em nós.

Autor: Aldo J.R.

TAGS: Metáforas financeiras, parábolas, Metáforas curtas, Mentalidade financeira, A jornada do crescimento.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: