Pressupostos da PNL

Pressupostos da PNL (Programação Neurolinguística)

Os pressupostos da PNL  são os princípios sobre os quais se fundamenta a aplicação da programação neurolinguística.

13 pressupostos de PNL

 

  • “As pessoas respondem à sua interpretação da realidade, não à realidade em si” ou “O mapa não é o território”. Ou seja, a realidade que você vê, é a sua interpretação do mundo, não é necessariamente ou inteiramente verdadeiro, ou a melhor interpretação. Outras pessoas verão o território de formas diferentes, devido aos filtros mentais que cada um carrega. Esses filtros fazem com que cada pessoas geralmente perceba a realidade (território) de uma forma diferente. Alguns mapas de mundo podem ser melhores do que outros e direcionam para uma realidade ou um resultado melhor. Mas todos tem seu próprio mapa de mundo. Segundo Connor, A PNL é a arte de mudar esses mapas para que tenhamos maior liberdade de ação.
  • Ter uma escolha é melhor do que não ter nenhuma. Quando maior o desenvolvimento e conhecimento uma pessoa, mais opções de escolhas ela terá. Os mapas mais amplos e ricos de escolhas, oferecem maior efetividade. Quando um indivíduo possui uma crença limitante (filtro mental), por exemplo, essa crença lhe mostrará apenas um caminho. Alterando essa crença limitante por uma fortalecedora ou libertadora, ele terá vários escolhas e caminhos a sua frente.
  • As pessoas fazem a melhor escolha para elas no momento. Uma pessoa sempre fará a melhor escolha que possui dentro de seu mapa de mundo. Por pior que seja a atitude daquela pessoa, aquela era a melhor escolha para ela naquele momento. Considerando o mapa de mundo dele, não do seu mapa ou do restante da sociedade. Todos possuem sua própria e única historia. A partir dela, são feiras todas as escolhas. Ofereça-lhes um mapa melhor, com escolhas melhores, e eles seguirão.
  • As pessoas funcionam perfeitamente. Todos possuem ou potencialmente possuem os recursos que necessitam para agir de forma eficaz. Conforme Connor, estamos executando nossas estratégias com perfeição, mas as estratégias podem ser mal projetadas e ineficazes. Descubra como você e os outros funcionam, para que uma estratégia possa ser modificada para algo mais útil e desejável.
  • Todas as ações têm um propósito. Você sempre está em busca de realizar algo desejável, mesmo que isso seja inconsciente. As coisas que as pessoas fazem não são aleatórias e sem propósito.
  • Todo comportamento possui intenção positiva. O que as pessoas fazem sempre possui uma intenção positiva ou um propósito positivo. Buscam sempre se beneficiar ou beneficiar alguém de alguma forma. Quando o individuo tem uma melhor escolha que atenderá a sua intenção positiva, ele a seguirá. Até uma agressão tem uma intenção positiva em sua essência. A pessoa tinha a intenção positiva para ela, de se defender de algo físico ou emocional. A agressão pode vir de um medo que a pessoa pensa positivamente em para-lo. Podemos acrescentar mais opções positivas para satisfazer a mesma intenção, a autoconfiança, é um exemplo.
  • O significado da comunicação não é simplesmente aquilo que você pretende comunicar, mas a reação que obtém. As pessoas reagem a nossa comunicação conforme os mapas mentais que cada um possui. Devemos prestar atenção em quem houve e como está reagindo a nossa comunicação, assim podemos adapta-la para sermos mais eficazes em nossas interações.
  • Já temos todos os recursos de que necessitamos ou então podemos criá-los. Imagens mentais, vozes interiores, sensações e sentimentos são os blocos básicos de construção de todos os nossos recursos mentais e físicos. Podemos usá-los para construir qualquer pensamento, sentimento ou habilidade que desejarmos, colocando-os depois nas nossas vidas onde quisermos ou mais precisar.
  • Mente e corpo formam um sistema. São expressões diferentes da mesma pessoa. Nossos pensamentos afetam instantaneamente nossa tensão muscular, respiração e sensações. Estes, por sua vez, afetam nossos pensamentos. Alterando um deles, influenciamos as outras partes do sistema.
  • A mente inconsciente contrabalança a consciente; ela não é maliciosa.
  • Processamos todas as informações através de nossos sentidos.
  • Modelar desempenho bem-sucedido leva à excelência.
  • Se quiser compreender, aja.

 

Referências bibliográficas

Joseph O’Connor e John Seymour, livro Introdução à Programação Neurolinguística , 1998

TAGS: Pressupostos da PNL. Programação neurolinguística,

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: